Segunda, 19 de Outubro de 2020
73982441586
Polícia Kimberly Karen Mota

Suspeito de matar miss é preso no Amazonas

Rafael foi encontrado por policiais militares em um barraco de madeira, em uma região de mata em Pacaraima.

16/05/2020 08h37 Atualizada há 5 meses
152
Por: Rick Fontes
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Suspeito de matar a miss Kimberly Karen Mota, 22, no Amazonas, Rafael Rodrigues, 31, foi preso na tarde desta sexta-feira, 15, em Pacaraima, região Norte de Roraima, já na fronteira com a Venezuela. O advogado era ex-namorado da vítima.

Atual Miss Manicoré, Kimberly cursava odontologia na Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro). Ela foi encontrada morta dentro do apartamento de Rafael, localizado no Centro de Manaus, na última terça, 12. Segundo as investigações, a jovem foi morta a facadas e sofreu golpes no pescoço e no abdômen.

Rafael e Kimberly se conheceram em uma boate de Manaus e se relacionavam há apenas dois meses. De acordo com a delegacia onde o caso é investigado, a miss havia terminado a relação com o suspeito, que conseguiu convencê-la a ir até o apartamento dele no domingo, 10.

Segundo informações, o suspeito foi encontrado por policiais militares em um barraco de madeira, em uma região de mata em Pacaraima. A entrada do suspeito na região, que pertence a Roraima foi registrada por uma barreira sanitária que realiza ficha epidemiológica sobre o coronavírus.

Na quarta-feira, 13, policiais haviam encontrado o carro de Rafael capotado na BR-174, em Caracaraí, ao Sul do estado. A suspeita era de que ele planejava fugir para a Espanha, passando pela Venezuela. O suspeito trabalhava desde 2017 no Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região – Amazonas e Roraima (TRT11).

Kimberly foi sepultada na tarde de terça, 11, em Manicoré. O pai de Rafael foi encontrado morto em São Paulo na noite da quinta-feira, 14, em uma estação de metrô.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.