Ponto Sky
Nova Aventura

Keanu Reeves vive John Wick pela terceira vez

Ex-matador profissional está de volta em Parabellum, seu filme mais violento

16/05/2019 07h34Atualizado há 4 meses
Por: Rick Fontes
157
(Arte: Bill Ellis/divulgação)
(Arte: Bill Ellis/divulgação)

Embora tenha iniciado sua carreira ainda nos anos 1980, foi na década seguinte que Keanu Reeves tornou-se um astro das bilheterias, quando os filmes de super-heróis estavam longe de ser sucesso. O ator, nascido no Líbano, levou muita gente aos cinemas, graças, principalmente aos filmes de ação.

Halle Berry é novidade no elenco da franquia

Seu primeiro sucesso do gênero foi Caçadores de Emoção, em 1991, quando dividiu a tela com Patrick Swayze, morto precocemente em 2009, aos 57 anos. Depois, viriam Velocidade Máxima (1994) e o maior sucesso da carreira do ator, Matrix (1999), que ganhou o status de cult. Nos anos 2000, Reeves já não funcionava mais como chamariz de público. Nem as continuações de Matrix renderam o que se esperava. 

Volta por cima 

Só em 2014 que um filme de ação estrelado pelo ator voltou a fazer sucesso: John Wick, que no Brasil foi chamado de De Volta ao Jogo. Ali, Reeves interpretava um lendário assassino de aluguel aposentado, que havia ficado viúvo recentemente. Mas quando um gângster invadiu sua casa e matou seu cão, ele decidiu voltar à ativa para se vingar. O longa acabou tendo um desempenho satisfatório nas bilheterias e ganhou uma sequência três anos depois.

Agora, Reeves está de volta na terceira aventura do personagem, John Wick 3: Parabellum, considerado por muitos como o mais sangrento da franquia. Segundo as contas de alguns críticos, são mais de cem mortes nesse novo filme. A direção é novamente de Chad Stahelski, o mesmo dos dois longas anteriores.

A nova aventura dá continuidade ao segundo filme e começa poucos minutos após o fim do longa anterior. Em Parabellum, depois de matar um integrante do sindicato de assassinos, John Wick é obsessivamente perseguido por matadores profissionais, já que sua cabeça vale nada menos que US$ 14 milhões.

Além da violência que marca este terceiro filme, há ainda o humor, agora mais presente. No elenco estão mantidos Laurence Fishburne, Ian McShane, Lance Reddick e Tobias Segal. Se juntam a eles, Halle Berry, Anjelica Huston e Asia Kate Dillon.

A permanência do diretor é muito importante para o sucesso da franquia, afinal isso dá continuidade a uma fórmula que tem funcionado bem. Além disso, Stahelski e Reeves já são velhos conhecidos: o diretor já foi dublê do astro em quase dez filmes. Ou seja, há sintonia de sobra entre os dois. 

Preparação

Stahelski promete novidades nesta terceira parte: “Neste capítulo, John Wick está em guerra com o mundo. Assim, o público vai a novos lugares e vai mais fundo na jornada pessoal dele e de outros personagens”, revela o diretor.

Reeves, muito envolvido com as cenas de ação e, principalmente, de luta, diz que este foi uma das maiores provas físicas de sua carreira: “Havia tanta ambição de se fazer este filme que passei meses treinando para ele. Há tantos tipos de cena de ação diferentes: artes marciais, armas, além de motos, cavalos, cães... então, o treinamento foi intenso. Mas, sinceramente, amo isto. Amo este personagem e amo o universo que nós criamos”, diz o ator, entusiasmado.

E, tudo indica, não vai parar por aqui: como estamos na era das sequências em Hollywood, Wick deve ganhar um quarto filme, como já deu a entender o diretor.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.