Ponto Sky
Muritiba

Explosivos presos em bancário não poderiam explodir à distância, diz polícia

O material colocado no funcionário da instituição financeira será analisado pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).

07/05/2019 23h17
Por: Agência
214
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os explosivos que foram colocados no corpo do gerente do Banco Brasil, feito refém em Muritiba na manhã desta terça-feira, 7, não haviam possibilidade de ser acionados como ameaçado pelos suspeitos. O Esquadrão Antibomba do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) foi responsável por desarmar as bombas e, com isso, constatar que não poderiam ser detonados à distância.

"Temos que exaltar o trabalho dos policiais. Agiram rápido, evitaram o roubo e garantiram a liberação dos parentes do bancário sem qualquer tipo de ferimento", destacou o comandante do Policiamento na Região Leste, coronel Luziel Andrade.

O material colocado no funcionário da instituição financeira será analisado pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.